anqm@anqm.com.br

(84) 3272-4320 | (84) 9974-5202

Uma emocionante festa de homenagens e premiações

Hall da Fama eternizou mais oito personagens de sua história e premiou os mais pontuados no ABQM Awards

 
A família quartista prestigiou em grande número o evento

Em mais uma marcante noite (24/02), a família quartista se reuniu numa festiva confraternização no Golden Hall do World Trade Center (WTC), na capital paulista, no 8º Hall da Fama e 11º ABQM Awards.


O presidente da ABQM, Cicinho Varejão, fez a abertura da festa quartista

Como mestres de cerimônia estiveram Anibal Ferreira, conhecido leiloeiro, e Fabiana Haik, apresentadora da TV Quarto de Milha, que de forma descontraída comandaram a solenidade, convidando para a abertura o presidente da ABQM, Cicinho Varejão. “A emoção é muito grande em estar reunido com a família quartista, pois este é meu primeiro evento social como presidente. A gente que ama cavalo e tem a paixão pelas provas, é muito emocionante em estar presidindo estes prêmios maiores”, disse o dirigente. “Sinto-me lisonjeado em comandar essa Associação maravilhosa, que aprendi a amar junto com minha família e, ao mesmo tempo, assumindo um compromisso muito grande em estar ao lado de minha Diretoria à disposição de vocês, para ouvi-los e fazer nossa raça cada vez maior e melhor”, finalizou Cicinho.


Anibal Ferreira e Fabiana Haik comandaram a cerimônia

Neste 8º Hall da Fama, a ABQM eternizou mais oito importantes personagens que deixaram seus nomes marcados na história da raça Quarto de Milha e que passaram a fazer parte de um seleto grupo, antes composto por 56 nomes.


Go Gala Bar's foi representada por seu proprietário, o norte-rio-grandense Geraldo Simas

O vice-presidente da ABQM, Rodrigo Gontijo, foi o encarregado de fazer a primeira homenagem da noite, destinada à produtora de craques em Vaquejada, Go Gala Bar’s, que esteve representada no palco por seu criador, Diácono Gamaliel Meneghel, de Cascavel (PR), e por seu proprietário, Geraldo Gadelha Simas, proprietário do Haras Santa Helena, no Rio Grande do Norte. “Ela só nos deu alegria, desde o dia que a compramos no Leilão da ABQM, na Água Funda, em São Paulo. E mesmo depois de morta, porque tudo que essa égua produziu foi campeão e continua a fazer campeões, além de comprovar sua genética através de seus netos. Realmente está todo mundo de parabéns pela festa maravilhosa. Agradeço a todos da Diretoria da ABQM, aos criadores que incentivaram esse título e que deram apoio para que o Go Gala Bar’s entrasse no Hall da Fama e eternizasse seu nome”, disse Simas.


Wilson Pulzatto (com o troféu) foi um dos homenageados

A seguir, foi a vez do também criador paranaense Wilson Pulzatto, proprietário da Fazenda Santa Fé, em Maringá, que acompanhado por familiares, se dirigiu ao palco para receber o troféu das mãos do ex-presidente da ABQM, Paulo Farha. Falando em nome da família, a filha Lilian Pulzatto, agradeceu à Diretoria da ABQM e aos criadores pela honrosa homenagem e disse: “Esse é o reconhecimento de uma criação de cavalos que teve início há mais de 40 anos e que nos proporcionou muitos títulos e, principalmente, muitos amigos”. Wilson Pulzatto enfatizou ainda: “Estou muito feliz e honrado com essa homenagem. A nossa família já está na terceira geração de sucessores e criadores. É uma obrigação dos pais em dar continuidade a todo esse trabalho”.


Hélio Costa Curta contou um pouco sobre o cavalo Brubaker FF

Voltando aos animais, o cavalo Brubaker FF foi o próximo a ser condecorado. Fauzet Farha, como criador, e Hélio Costa Curta, como proprietário, também de Maringá, receberam os respectivos troféus das mãos de Fábio Pinto da Costa, ex-presidente da ABQM.  “Embora não esteja aparecendo mais nos maravilhosos eventos da ABQM, minha semente foi plantada muitos anos atrás, correndo todo esse Brasil, quando o Nacional era realizado em 10 etapas. Então, graças a Deus, tenho orgulho de dizer que eu fui fruto da plantação dessa semente que é o Quarto de Milha”. O Brubaker foi um incentivador e eu agradeço de todo o coração essa homenagem a ele. Pena que no passado não tínhamos a facilidade das câmeras para mostrar tudo que esse cavalo fez nas pistas e na reprodução. Muito obrigado à ABQM, ao Fauzet e Paulo Farha por me darem a oportunidade de adquirir esse campeão. Agradeço também minha esposa, filhos, genro e minha neta que continua firme no Quarto de Milha”, disse Costa Curta.


O pernambucano Ismar Amorim foi representado por seus filhos

Na sequência foi a vez de Ismar Gomes de Amorim Filho, titular do tradicional criatório do Haras Passira, no estado de Pernambuco, receber as honras. Ausente por motivos de saúde foi representado na solenidade pelos filhos Rodrigo, Alessandra e Eduarda Amorim. Recebendo o troféu das mãos de José Macário Perez Pria, ex-presidente da ABQM, Rodrigo Amorim disse: “Em nome de meu pai, eu quero agradecer a todos que contribuíram para que isso esteja acontecendo. À nossa família, ao pessoal do haras, e, principalmente, a mamãe que sempre teve ao lado dele e o apoiou na concretização desse sonho e que se tornou o sonho da família inteira. São 38 anos de história e eu quero agradecer esse reconhecimento da ABQM e, dizer que, com certeza, meu pai estará muito feliz da mesma forma que estamos também muito emocionados e fica até difícil de falar de ter encontrado tantos amigos dele. Gostaríamos muito que estivesse aqui, mas podem ter certeza que iremos passar todas as mensagens pra ele”.


Alberto Samaja levou o troféu de Blazen Bryan

Thomas de Mello e Souza, conselheiro de Administração da ABQM foi convidado para premiar Blazen Bryan, um dos destacados reprodutores de Corrida, que serviu o plantel paulista do Haras Santo Angelo, do saudoso criador Gianni Franco Samaja. Representando o pai, subiu ao palco Alberto Samaja Neto, que resumiu assim a homenagem: “É uma honra muito grande estar aqui representando meu pai, que faleceu em 2014 e dizer que a emoção é muito grande de estarmos recebendo pelo segundo ano consecutivo essa homenagem, pois em 2017 foi pela Rebs Darlin. Isso é fruto de um trabalho que ele construiu há mais 35 anos com o Quarto de Milha. Aproveito para dar os parabéns à ABQM, porque num país que nem todos valorizam a história, estamos já no 8º Hall da Fama, valorizando aqueles que construíram e fizeram a diferença. O cavalo Quarto de Milha reune famílias e faz amigos. Estou emocionado por estar aqui com meu filho, que já é a quinta geração voltada ao cavalo e estamos juntos vendo essa história tão bonita que a raça tem feito no Brasil, através do esporte”.


Ruy Terra (3º da esq.) reuniu muitos familiares em sua homenagem

Acompanhado de seus familiares, Ruy Moraes Terra, proprietário do conhecido Haras Terra, em Presidente Prudente (SP), foi o próximo a ser consagrado. Ele foi homenageado por Marcos Sá, conselheiro de Administração da ABQM e diretor Internacional. “É um prazer muito grande receber esse prêmio. Os criadores presentes são todos amigos e mesmo aqueles que eu não conheço, o Quarto de Milha nos uniu. A ABQM é uma entidade que nós abraçamos e se tornou a maior do Brasil”, disse Ruy Terra.


Shady Steel SLN foi enaltecido por Júnior Teixeira, um de seus proprietários

Finalizando as homenagens aos animais – todos já desaparecidos –, foi a vez de Shady Steel SLN, garanhão que fez nome na Vaquejada. Os troféus foram entregues por Regis Frati, conselheiro de Administração e responsável pela comunicação da ABQM, para Vera Nouguès, representando o saudoso criador paulista Sérgio Luiz Rodovalho Nouguès, do Haras SLN, e os proprietários do animal, os norte-rio-grandenses Cleber de Albuquerque Lucena (Haras Cumaru) e José Teixeira de Souza Júnior (Haras Bom Pasto). “O prêmio do Hall da Fama é uma homenagem ao coroamento de toda a trajetória de um cavalo. Desde sua performance atlética, como potro e adulto, depois sendo garanhão e finalmente com a campanha de seus filhos em pista, conseguindo ser líder das estatísticas”, disse Júnior Teixeira. “Essa homenagem significa muito para os criadores e, por falar neles, tenho que homenagear a quem criou o Shady Steel, o dr. Sérgio Nouguès e a família dele que está presente através da dona Lulude e a filha Vera”, destacou Júnior Teixeira. “Nós temos que agradecer muito, principalmente à ABQM, pela ideia de criar o Hall da Fama, pois isso enobrece a raça e dá aos criadores ânimo para criar e reconhecer os feitos de um cavalo e a trajetória de como ele passa pelo haras. O dr. Sérgio deve estar muito feliz em saber que o Shady esta sendo homenageado e entrou para o Hall da Fama, por produzir tantos filhos campeões na Vaquejada”, pontuou Teixeira, que finalizou com alguns agradecimentos. “Além do Cicinho, o Regis Frati e toda a Diretoria da ABQM, devemos agradecer aqueles que fizeram a indicação do Shady Steel para essa homenagem. A minha família e a do Cleber Lucena que no dia a dia estão presentes, aos nossos colaboradores do haras, porque se não fossem todos eles eu não estaria aqui falando para o Brasil inteiro, pelo reconhecidamente do Shady em ser o líder da Vaquejada”.


Eliziane, viúva de Testa - "A Lenda do Laço", emocionou todos os presentes

Um dos momentos marcantes do evento foi a homenagem prestada a Lucinei Nunes Nogueira, – o Testa (in memorian), conhecido como “A Lenda do Laço”.  E quem teve e incumbência da entrega do troféu à Eliziane Nogueira, viúva do campeão, foi Edmilson Varejão, que como conselheiro de Administração da ABQM e tradicional criador, enalteceu a brilhante campanha de Testa que ficou marcada na história do Quarto de Milha.

A emoção tomou conta do recinto quando Eliziane Nogueira contou um pouco de sua história: “Gostaria que Deus permitisse que ele pudesse estar vendo isso e saber que tudo valeu a pena. A história dele foi escrita com muito suor, paixão, lágrimas, emoção e muita alegria que é isso que o Quarto de Milha nos dá. O Testa deixou um legado que hoje nós podemos ver e que a vida continua através do Juninho. Eu confirmo o que foi dito aqui, que o Quarto de Milha é o cavalo que une a família, instrue o jovem. Quando fiquei com o meu filho, sem o Testa, ele tinha apenas 5 anos de idade, e eu acreditei nos conselhos do meu marido e não abri mão da raça e, com todas as lutas que eu enfrentei, continuei mantendo meu filho nas competições. Ele tinha o prazer em dizer que o Quarto de Milha era da família. Hoje temos grandes investidores, grandes competidores que eram adolescentes que não saiam da minha casa, pois ele arrebanhava todo mundo. E um exemplo disso é o Miguel (fotógrafo da ABQM) que está aqui na minha frente. Ele foi testemunha disso. Tivemos dificuldades, pois acho que o Testa foi o primeiro profissional a viver exclusivamente do Quarto de Milha, sem nem um vinculo empregatício com qualquer um criador, porque ele acreditava, ele amava essa raça. Mesmo eu dizendo para ele mudar de ramo, ele se sentiu ofendido e dizia preferia morrer, que não deixaria de fazer o que amava. E Deus foi generoso com ele, no dia em que ele iria nos deixar, ele teve uma entrevista, um dias antes de falecer, e disse ao repórter da TV que se ele morresse, gostaria que fosse em cima de um cavalo. Ele morreu feliz. Deus levou ele. E a história continua através da vida do Juninho, eu creio que é um grande orgulho, não só para mim como mãe, mas acho que para a família Quartista, para o Brasil, que ele leva o nome do Brasil, a bandeira do Brasil, e que tudo começou aqui na ABQM. E eu digo para todos vocês que acreditem no Quarto de Milha, invista nos seus filhos, pois isso é muito gratificante”.

 

Texto: Abdalla J. Abib e Moacir Russo
Fotos: Fábio Cabrera e Miguel Oliveira
Apoio: Daiane Barbosa  

Mais noticias